sexta-feira, 1 de outubro de 2004

MANIFESTO PRÓ-BUSH


Já muito se escreveu neste blog sobre as eleições norte-americanas. Inúmeros foram os posts anti-bush publicados alternando entre citações da Besta (entenda-se George W.Bush), revisitações ao seu passado obscuro, fotomontagens ridicularizantes etc…Assim e no rescaldo do 1ºdebate entre os dois candidatos, achei por bem escrever de forma séria sobre as Presidenciais americanas.
Na verdade estou a torcer por Bush. A reeleição de Bush é ao contrário da opinião generalizada nos meios de esquerda, o melhor para o mundo e para a própria esquerda.
O segundo mandato de Bush promete ser (como todos os segundos mandatos de governos ou presidentes, excepção feita ao mariquinhas ruivo Jorge Sampaio) o mandato da afirmação. Menos consensual (ainda menos), mais radical e polarizado (ainda mais) e com menos ou nenhumas concessões à esquerda (houve alguma durante primeiro mandato?). É que isto de segundos mandatos são como as sequelas dos filmes, a sequela é sempre pior que o original.

Neste novo mandato Bush irá continuar e acentuar as suas evangelistas políticas neo-conservadores nomeadamente:
- Baixar os impostos sobre as grandes fortunas e multinacionais.
- Aumentar o controlo sobre os meios audiovisuais, sobre a televisão, os jornais etc.( relembro para quem não sabe, que o Governo norte-americano proibiu, por exemplo, que se filmasse a chegada dos caixões dos soldados mortos no Iraque. Medida sábia visto ser consensual que imagens idênticas nos anos 70, contribuíram decisivamente para a perda de apoio popular à guerra no Vietnam).
- Aumentar os poderes da FCC (espécie de Comissão de Censura, que já obrigou as cerimónias de entrega prémios, como os Óscares ou os Grammys, a serem transmitidas com uma diferença temporal, evitando assim directo puro e seus perigos. Comentários políticos como a famosa frase “Shame on you Mr.Bush” proferida por Michael Moore nos Óscares não se devem repetir tão cedo)
- Continuar o caos no Iraque e talvez expandi-lo a um ou outro país.
- Esbater ainda mais a separação entre estado e religião. God will not only bless America, God will rule America.



Bem, depois de ler isto, o comum dos leitores iria a correr para Fátima por uma velinha pela vitória de Kerry. Eu no entanto aconselharia o contrário. Na verdade e como já disse estou a torcer pela vitória de Bush. Não pelas mesmas razões que os neo-conservadores americanos, não pela mesma razões de Bin Laden, nem pelas mesmas do paneleiro do Paulo Portas. A vitória de Bush é decisiva para a criação de um mundo melhor e passo a explicar porquê :
- O segundo mandato provocará quer a nível interno quer a nível externo (sim porque o mundo ainda copia os EUA) uma tal revolta, um tal estado de nojo que tornará impossível que seja eleito outro republicano conservador num espaço de pelo menos 20 anos.
- O clima repressivo de censura às liberdades cívicas, de conservadorismo cultural, o aumento do desemprego e o aumento dos desequilíbrios sociais criará o meio perfeito para o desenvolvimento de uma contra-cultura poderosa, pró-revolucionária. Podemos assim esperar o nascimento duma nova contra-cultura musical, cinematográfica, enfim artística que rompa com modelos pré-estabelecidos à anos pelas editoras discográficas, canais de música e estúdios de Hollywood. A grave crise económica do final dos anos 70 e as posteriores políticas reaccionárias do início dos anos 80 criaram as condições para o desenvolvimento do punk e do grunge. Na verdade a arte precisa de sempre duma era de repressão e obscurantismo para depois explodir de forma contundente. Elegendo Bush podemos estar a matar a longo prazo a música inerte que invade os canais de música e os filmes bestas que invadem os nossos cinemas.
- Reelegendo Bush estaremos também a contribuir para que a longo prazo a Europa assuma finalmente a sua não identificação com os EUA. Acredito que no fim do segundo mandato de Bush, a Europa irá parar de tentar copiar o falido e corrupto modelo americano. A Europa finalmente se assumirá como uma força, cultural, política e socialmente diferente dos EUA, acabando com o seguidismo doentio que tem norteado as políticas europeias desde do fim da 2ªGuerra Mundial. A Europa certamente buscará finalmente e de forma efectiva um modelo social, económico e politico que se apresente como alternativa válida ao capitalismo americano e à fanatismo religioso Árabe.

Bem, dito isto…Vote Republican, Vote Bush.


3 comentários:

nuno disse...

bom post, muito bom mesmo. e lá está... "it's funny, because it's truth"..

Eu nao Existo disse...

so estou a fazer um comentario que cabe a voçes todos o imaginar ! pois este é um comentario imaginário!

Sandro disse...

bRAvo...bElo pOSt!!! nuNCA iRiA VEr As CoISas pOR EsSe PRiSmA... mAs DaDo o moTe... VOTE BUSH!!!! lol ;P